Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

find equilibrium



Segunda-feira, 08.01.18

a notícia que me assustou

Isto abala-me o psicológico e sou fraca nesse aspecto. A palavra perfeição é uma mentira. E quem a inventou nunca deve ter sido feliz e isso acabou com que os seres humanos a procurem pela vida adentro.

Eu já estive a procura-la e defini-la sobre mim, mas entendi que é um fracasso estar obcecada em ser uma boa menina, ter o corpo no sítio e agradar toda a gente que passa na minha vida. Isso acabou há muito tempo.

Mas tenho alguns fantasmas que ocupam os meus pensamentos e fico devastada quando olho para mim. Não tenho a melhor pele do mundo, não tenho as melhores curvas do mundo - porque têm defeitos que me atormentam desde dos 15 anos. Portanto, quase há 10 anos sinto-me estragada e nunca recuperei. O corpo magro-normal, bem moreno no verão, cintura fina, ancas largas, praticamente tudo equilibrado.

Com 15 anos, fazemos asneiras. E há 10 anos não havia tanta informação a percorrer revistas, internet, muito menos de boca em boca. Julgava eu que iria manter-me sempre assim. E continuei a comer como antes. Ninguém me avisou que o meu corpo iria mudar drasticamente e que as coisas podiam ficar piores.

Ou seja, tenho as belas estrias e celulite nas pernas e no rabo desde dos 16 anos. Tão nova e...nem sei.

 

Emagreci após disso, andei um pouco equilibrada e com a entrada para o curso desiquilibrei-me novamente e notei que o meu corpo enfraqueceu a nível de resultados. Tudo mais lento.

Em 2016, entrei para o ginásio. Dei por mim num sítio que não imaginava ver-me porque detestava a sensação de ser observada, todos os meus passos, os movimentos, porque sei que olham! Em 5 meses contínuos, não emagreci, mas tonifiquei - e o que se viu mais foram as pernas - e adorei. Comparando fotografias os meus olhos brilhavam!

Parei após 6 meses. Trabalhava noutra cidade, chegava tarde a casa e de manhã lá voltava eu para o trabalho. Não dava! Após meses, em 2017 voltei com a esperança de ser igual. Sinto-me sozinha, não tendo plano, apoio e alguma motivação não consegui ver o que vi no ano anterior. Perguntava-me se valia a pena os 30€, treinos após o trabalho, sair do ginásio às 21h15/21:30, ter que fazer algo rápido para comer se não houvesse, voltar a sair para ir tomar café. Alguma coisa teria que mudar porque eu não conseguia gerir tempo.

Fui duas semanas em outubro ou novembro. 

Este ano 2018, fiz uma coisa que não costumo fazer e nem a procuro. Mas estava à frente dos meus olhos. Pesei-me. 63/64kg. "Ai mas isso não é nada!" É! Nunca me pesei mais que 58kg. Tenho 5kg localizados no meu corpo que não me pertence. Eles nunca estiveram aqui e agora é um objecto estranho e a mais. Fiquei triste, apeteceu-me chorar desalmadamente, de todas as asneiras que cometi, do pouco tempo que tenho, da motivação que falta. 

Mas vou tomar medidas. Tenho que as tomar, sem desculpas! Compensar os 30€ e 1h/1h30 de treino e uma alimentação equilibrada e se possível paleo - é a mais correcta. Quero voltar a ter o brilho que tive em 2016, embora ainda com algumas imperfeições.

E no fundo, não tem a ver só com o agrado mas também pela saúde. Quando como algo de "lambarice" sei que estou a fazer mal, para a minha saúde. Tudo regrada a partir de uma certa altura, tudo torna-se mais lento, menos produtivo com antes, seja metabolismo e cérebro. Eu que sou sujeita a algumas transformações corporais, tenho que as controlar de forma correcta. 

Não preciso que isto seja lido de modo massacrante e lamentar sobre qualquer coisa. Escrevi como prova que meti uma coisa na cabeça e tenho que a cumprir. E daqui a uns meses, voltar a ler e escrever de novo sobre uma resolução positiva. 

Olho para mim e sei o que vejo. Por dentro e por fora. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por liz collingwood às 16:05

liz collingwood © 2011-2017
Design by Sacha Hart
The Design Project


2 comentários

De sacha hart a 10.01.2018 às 18:33

Estava a precisar de ler precisamente estas palavras que derramaste aqui. Estou no mesmo conflito, embora tenha de recuar até 2015, a única altura desde o inicio da minha adolescência em que não me sentia completamente insatisfaz com o meu aspecto físico resultado da minha primeira dieta e aumento da actividade física, mas depois não entendi bem como descarrilei e hoje, tal como tu, tenho mais 5 quilos que jurei que ia diminuir mas que, na verdade, deixei que eles cá viessem parar sem ter feito nada para os parar. Em Budapeste atormentava-me, mas estava a viver uma fase que queria que fosse descontraída e simplesmente mandei esses pensamentos para o fim da minha mente, mas desde que regressei não dá mais. Não há desculpas. Estou a fazer exercício físico 5 vezes por semana, mas não acerto na alimentação nem em cuidar da minha saúde mais de perto. Preciso de, mais do que abrir os olhos, ter realmente iniciativa. Este teu post fez-me sentir que "já chega", tenho de agir e fazer algo por mim mesma se quero mudar.
E por isso, muito obrigada querida Liz.
Espero que também tu tenhas um bom ano! Cheio de energia, motivação e empenho para que nos conheçamos tão bem por dentro como por fora (adorei em particular esta tua escolha de palavras!)
beijinho!

De liz collingwood a 24.01.2018 às 22:56

Acho que a alimentação é a coisa mais difícil de controlar. É necessário reeducar-nos e saber o que comer. As dietas são ilusões mas hábitos alimentares correctos resulta! Eu tenho um hábito alimentar que tento recorrer e realmente vejo resultados vivos, apenas com a alimentação. A dieta paleolítica, não sei se conheces. Já pensei em falar dela mas como não a sigo à risca, pra quê falar dela?
Anyway, é preciso ter consciência do que estás a comer, se realmente faz-te bem. Atualmente um hamburguer no mac é errado em mim, eu sei mas se comer um artesanal, já sei que não é assim tão mau. E são exemplos assim. A dieta paleolítica é para substituir e não passares fome, consegues comer coisas meeesmo boas como uma asneira.
E pronto, cumprir objectivos.
E fico meeeesmo feliz pelas minhas palavras terem algum impacto e ainda mais feliz quando atingem pessoas mais próximas! Estarei sempre por cá ou online em qualquer lado :)

Comentar post



liz collingwood

Liz, 24 anos, entre Porto e Aveiro. Bom espírito, busca equilíbrio, sonhadora e apaixonada. blogger, leitora, escritora, fotógrafa. Esteticista/cosmetologista.

+ sobre mim





Mensagens

Para dúvidas relacionadas com a área de estética, cosmética, saúde e bem estar, podem enviar mensagem. Relativamente a laser, tratamentos de rosto e corpo, acne, rugas, flacidez, massagens, dúvidas a profissionais, a quem devemos confiar, que promoções devemos acreditar...aqui podem expor tudo. Será respondido seriamente, com a maior confiança e naturalidade. O que não souber, serei sincera. Obrigada